Imagens de Júpiter permitem que os cientistas observem a Terra mais profundamente.

Esta nova imagem de Júpiter feita pelo telescópio Hubble da NASA foi tirada em 25 de agosto deste ano e mostra uma nova visão clara do planeta.

A imagem foi tirada quando a Terra estava a 653 milhões de quilômetros de distância, fornecendo mais detalhes para pesquisadores.

Entre eles, além de observar a tempestade formada no centro da imagem, também é possível extrair um relatório completo e atualizado sobre a atmosfera terrestre.

Além das tempestades, os cientistas que analisam as imagens também disseram que é possível ver mudanças de cores na atmosfera.

Mas o que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi a enorme tempestade que se espalhava. Nuvens brancas brilhantes, movendo-se a uma velocidade de 560 quilômetros por hora, apareceram em 18 de agosto deste ano.

Embora isso seja um fenômeno relativamente comum na Terra, esta é a primeira vez que aparecem manchas pretas na parte de trás das nuvens. Essas manchas estão se movendo no sentido horário, o que pode indicar que grandes nuvens estão começando a aparecer no hemisfério norte do planeta - em oposição às grandes manchas vermelhas no hemisfério sul.

Conhecida como "Mancha Vermelha Jr.", a mancha parece estar adquirindo uma tonalidade vermelha mais escura, o que indica que é cada vez mais semelhante à mancha sul.

A última observação de Hubble foi relacionada ao comprimento de onda encontrado em Júpiter. Tanto na luz ultravioleta quanto na infravermelha, o comprimento pode dar aos cientistas uma visão nova e mais clara da Terra. A luz visível produzida pelo telescópio Hubble adicionou várias cores, o que é uma grande melhoria na compreensão da atmosfera.