O Consumo de Energia Aumentou e a Indústria Registra Recorde

Desde abril de 2018, o consumo de energia aumentou e a indústria bate recorde

De acordo com a “Revista Mensal” da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o consumo de energia elétrica em todas as regiões do Brasil aumentou em setembro na comparação com o mesmo mês do ano passado, o que não acontecia desde novembro de 2019. Esse aumento garantiu que o consumo total de energia elétrica do país aumentasse pela segunda vez consecutiva, atingindo 2,6% de 2,227 gigawatts hora (Gwh).

Entre essas regiões, a região Norte teve bom desempenho em setembro, com aumento de consumo de 4,9%, seguida pela região Sul, que cresceu 3,5%. Nordeste, 2,9%; Sudeste, 2,2%; Centro-Oeste, 0,9%.

O mercado livre continuou crescendo fortemente (9,3%) após crescer 5,6% em agosto e 1,5% em julho, enquanto o mercado cativo representado pelas distribuidoras caiu 0,8%, recuando 0,9% em setembro e 3,2% em julho. % Depois, em setembro.

Desde abril de 2018, o aumento do consumo de energia elétrica da indústria em setembro foi o maior (5,7%), impulsionado principalmente pela indústria metalúrgica (8,5%). No entanto, o setor industrial não tem conseguido compensar as perdas causadas pela redução das atividades: na comparação com o mesmo período do ano passado, a queda acumulada nos primeiros nove meses foi de 3,3%.

Devido ao aumento das temperaturas, aumento das compras de eletrodomésticos e isolamento social causados ​​pela pandemia Covid-19, o consumo de energia residencial aumentou pelo terceiro mês consecutivo (7,6%). Na comparação anual, o segmento de mercado cresceu 3,3% de janeiro a setembro.

Por outro lado, o comércio continuou a registrar redução de 8% no consumo de energia em setembro, mantendo o impacto negativo da pandemia do setor, e queda acumulada de 11,2% de janeiro a setembro.

De acordo com relatórios da EPE, a partir de setembro, o consumo de eletricidade no Brasil caiu 2,6% no geral, e caiu 1,4% nos últimos 12 meses.